Banas Qualidade - Junho - 309

Banas Qualidade - Junho - 309

78 - Revista BQ - Banas Qualidade O trabalho apresentado tem o propósito de demostrar a visão estratégica através do requisito 4 contexto da organização da nova versão da norma de Gestão da Qualidade ABNT NBR ISO 9001:2015. O foco principal do trabalho é identificar através do requisito 4 da norma, uma abordagem que se enquadram na escola de negócios de Harvard, em especial a utilização do modelo SWOT para base do planejamento, neste trabalho é evidenciado que o item 4 que de certa forma é desmembrado em subitens 4.1 onde a organização se obriga a entender o contexto onde ela esta inserida , considerando as forças , fraquezas, riscos e oportunidades, item 4.2 onde a organização identifica as partes interessadas e seus respectivos requisitos e expectativas, item 4.3 determinando o escopo do sistema de gestão da qualidade, onde a organização define limites os limites e a aplicabilidade do sistema de gestão da qualidade, considerando nesta etapa a as questões externas e internas que são identificadas no item 4.1 com a utilização da analise de SWOT e o item 4.4 que trata do Sistema de gestão da qualidade e seus processos, que tem relevância por considerar a interação dos processos definidos no item 4.3 escopo do SGQ, nesse ponto a organização determina, estabelece, implementar, mantem e melhorar continuamente um sistema de gestão da qualidade. 1 Introdução Antes da introdução das normas de gestão, em especial as de Gestão da Qualidade, as empresas não tinham os processos padronizados, dificultando a gestão e consequentemente os resultados positivos. Antes da Norma ABNT NBR ISO 9001 existia a preocupação da sociedade com o quesito qualidade, mas não se dava de forma sistêmica, de acordo com historiadores a preocupação com a questão da qualidade focada no produto, através de inspeção , advém da época de Hamurabi. Oliveira (2006) cita que o Código de Hamurabi, de 2150 aC, estabelecia penas severas para construtores que erguessem uma casa que desabasse matando os moradores. Da mesma forma, inspetores fenícios eliminavam quaisquer violações reincidentes de padrão de qualidade amputando a mão do fabricante de um produto defeituoso. O conceito da qualidade é definida por diversos gurus, reconhecidos pela contribuição a evolução da qualidade através dos tempos, segundo Campello e Oliveira (2005): 1. W. Edwards Deming, talvez o mais conhecido deles, desenvolveu um sistema para controle estatístico da qualidade, com ênfase no comprometimento e nas ações da gerência das organizações e na consciência da necessidade de contínua melhoria; 2. Joseph M. Juran é considerado o primeiro guru da qualidade com aplicação da mesma à estratégia empresarial e, segundo ele, os processos de negócio eram a maior e a mais negligenciada oportunidade de melhoria nas próprias empresas; 3. Armand Feigenbaum usou uma abordagem mais abrangente, o controle total da qualidade, com o objetivo de desenvolver, manter e aprimorar a qualidade para inibir a propagação de falhas ou erros; 4. Philip Crosby estabeleceu que um sistema para alcançar melhores níveis de qualidade deveria ser principalmente preventivo e, assim, estabeleceu o zero defeito como uma direção a seguir; foi quem obteve maior sucesso comercial promovendo seus pontos de vista sobre a qualidade; Por Valdecil de Souza Gestão

RkJQdWJsaXNoZXIy MjE4Njkz