QUALIDADE – Internacional

06/12/2018

A quarta revolução industrial requer investimento em treinamento interno

Na ausência de pessoal qualificado nas novas competências tecnológicas, que mudam cada vez mais rápido, as empresas estão se voltando para alocar recursos para treinar seus trabalhadores e evitar a escassez de talentos e a enorme demanda por profissionais em setores como a cibersegurança e a Inteligência Artificial (IA).

Apesar de, após os anos negros da crise econômica, as taxas de desemprego têm diminuído gradualmente. Em setores da indústria, principalmente relacionado à tecnologia, há grande dificuldade em encontrar pessoal qualificado, por exemplo na área da segurança cibernética. Portanto, não é surpreendente que mais e mais empresas estejam empenhadas em treinar os funcionários atuais para preencher as vagas de maior demanda.Seja moda ou não, é uma boa notícia para todos os trabalhadores.

A ameaça da automação que paira sobre os trabalhadores especialmente aqueles com baixas e médias qualificações, começa a alertar os empregadores. Agora, ambos os lados da cadeia de produção parecem estar se alinhando e preferindo a formação contínua e a reciclagem . Os empregadores querem manter seus funcionários para deixar de ter escassez de talentos, enquanto os funcionários querem atualizar suas habilidades e adquirir habilidades à prova de robôs.


De acordo com uma pesquisa da Accenture, 67% dos trabalhadores dos EUA. devem desenvolver seu conhecimento para trabalhar com máquinas inteligentes. "Os empregadores vão recuperar seu investimento, porque os trabalhadores da geração do milênio o exigem", diz o diretor da UpSkill America, Jaime Fall. "Se eles não estiverem dispostos a ajudá-los a se desenvolver, eles não ficarão na empresa". Mas passar de um trabalho manual para o trabalho, por exemplo, com inteligência artificial (IA) não é tão simples como fazer um curso online.

https://www.technologyreview.es/s/10717/la-cuarta-revolucion-industrial-obliga-invertir-en-formacion-interna

voltar