QUALIDADE – Internacional

11/10/2018

A sociedade deve começar a se adaptar para viver em um mundo mais quente

Por mais que reduzamos as emissões de gases de efeito estufa, o planeta já mostra sinais de mudança climática. O especialista em energia da Universidade de Harvard, Daniel Schrag, acredita que a arquitetura, agricultura e transporte devem se preparar para resistir

Seria maravilhoso se pudéssemos atualizar rapidamente todo o sistema global de energia para evitar a destruição do meio ambiente. Mas no momento não podemos fazer, Daniel Schrag, acredita que a melhor estratégia é que nós simplesmente nos preparaemos para viver em um mundo mais quente, mais úmido e mais vulneráveis â?<â?
Schrag salientou a dificuldade de transformar o fornecimento global de energia a uma taxa suficiente para parar o desastre ambiental que é  iminente. "Pode ser o problema mais difícil que a humanidade enfrentou", disse ele.

Um dos grandes desafios na luta contra as mudanças climáticas está na persistência de alguns gases de efeito estufa. Em particular, da extremamente longa escala de tempo do ciclo do carbono. Mais da metade das emissões atuais de dióxido de carbono na atmosfera, permanecerá lá por até 1.000 anos, e cerca de um terço ainda vivem em nossos céus há mais de 20.000 anos.

Mudar a infraestrutura energética também é extremamente complexo e caro. O carbono levou mais de 150 anos para substituir a madeira como principal fonte de energia, lembrou Schrag. E a mudança climática é um problema verdadeiramente  global. "Enquanto alguns países continuarem a usar combustíveis fósseis e emitirem gases de efeito estufa, o problema continuará piorando", disse ele.

https://www.technologyreview.es/s/10533/la-sociedad-debe-empezar-adaptarse-vivir-en-un-mundo-mas-calido

voltar