QUALIDADE – Notícias

24/09/2017

A qualidade dos data centers

Da Redação

 

A TIA-942:2017 - Telecommunications Infrastructure Standard for Data Centers especifica os requisitos mínimos para infraestrutura de telecomunicações de centros de dados e salas de informática, incluindo centros de dados corporativos de usuário único e centros de dados de vários usuários. A topologia especificada neste documento destina-se a ser aplicável a qualquer data center não importando o seu tamanho.

Existem nove anexos nessa norma. Os anexos A, B, C, D, E, F, G, H e I são informativos e não são considerados requisitos desta norma. Seu objetivo é fornecer requisitos e diretrizes para o projeto e instalação de um data center ou sala de computadores. É destinado ao uso de projetistas que precisam de uma compreensão abrangente do seu projeto do centro de dados, incluindo o planejamento da instalação, o sistema de cabeamento e o projeto da rede.

A norma permitirá que o projetista do centro de dados leve em consideração os seus requisitos no início do processo de desenvolvimento da construção, contribuindo para uma melhor arquitetura, fornecendo informações que ajudam nos esforços de um projeto multidisciplinar, promovendo a cooperação nas fases de projeto e construção. Permite um planejamento adequado durante a construção ou renovação e oferece significativamente menos dispêndios e menos perturbação do que após a instalação operacional.

Os centros de dados, em particular, podem beneficiar de uma infraestrutura planejada antecipadamente a fim de suportar o crescimento e as mudanças nos sistemas de informática que os centros de dados projetados para apoio ou suporte. Este documento apresenta uma topologia de infraestrutura para acessar e conectar os respectivos elementos nas várias configurações do sistema de cabeamento atualmente encontradas em um data center. Para determinar os requisitos de desempenho de um sistema de cabeamento genérico, vários serviços de telecomunicações e aplicações foram considerados.

Além disso, esse documento aborda o layout do piso relacionado ao alcance do equilíbrio adequado entre segurança, densidade do rack e capacidade de gerenciamento. Especifica um sistema genérico de cabeamento de telecomunicações para o data center e instalações relacionadas cuja principal função é a tecnologia da informação. Tais espaços de aplicação podem ser dedicados a uma empresa ou instituição privada, ou ser ocupado por um ou mais provedores de serviços para hospedar conexões de internet e dispositivos de armazenamento de dados.

Os centros de dados suportam uma ampla gama de protocolos de transmissão. Por exemplo, os protocolos impõem restrições de comprimento menores do que as impostas por esta norma. Os centros de dados podem ser categorizados de acordo com se eles servem o domínio privado ("empresa" centros de dados) ou o domínio público (centros de dados da internet, centros de dados de colocalização e outros centros de dados do provedor de serviços). As instalações empresariais incluem corporações privadas, instituições ou agências governamentais e pode envolver o estabelecimento de intranets ou extranets.

As instalações incluem prestadores de serviços telefônicos tradicionais, prestadores de serviços competitivos não regulamentados e operadores comerciais relacionados. As topologias especificadas neste documento, no entanto, são destinadas a ser aplicáveis tanto para satisfazer os respectivos requisitos de conectividade (acesso à internet e comunicações de área ampla), hospedagem operacional (hospedagem na web, armazenamento de arquivos e backup, gerenciamento de banco de dados, etc.) e serviços adicionais (hospedagem de aplicativos, conteúdo de distribuição, etc.).

A infraestrutura de telecomunicações afeta o consumo de matérias-primas. O projeto da infraestrutura e os métodos de instalação também influenciam a vida do produto e a sustentabilidade da vida do equipamento eletrônico. Esses aspectos da infraestrutura de telecomunicações afetam nosso meio ambiente. O processo de projeto e instalação de infraestrutura de telecomunicações amplia a necessidade de infraestruturas sustentáveis no que se refere à construção, eletrônica, ciclo de vida do equipamento e considerações de efeitos sobre o desperdício ambiental. São especificadas duas categorias de critérios: obrigatório e consultivo. Os requisitos obrigatórios são designados pela palavra "deve". Os requisitos de assessoria são designados pelas palavras "pode" ou "desejável", que são usados indistintamente na norma.

Os critérios obrigatórios geralmente se aplicam à proteção, desempenho, administração e compatibilidade. Eles especificam os requisitos minimamente aceitáveis. Os critérios de consulta são apresentados quando a realização pode melhorar o desempenho geral do sistema de cabeamento em todos os seus conceitos e aplicações. Uma nota no texto, tabela ou figura é usada para enfatizar ou oferecer sugestões informativas ou fornecer informações adicionais.

Pode-se afirmar que um data center é uma modalidade de serviço de valor agregado que oferece recursos de processamento e armazenamento de dados em larga escala para que organizações de qualquer porte e mesmo profissionais liberais possam ter ao seu alcance uma estrutura de grande capacidade e flexibilidade, alta segurança, e igualmente capacitada do ponto de vista de hardware e software para processar e armazenar informações. O gerenciamento é um dos principais serviços que um data center oferece na previsão de falhas dos sistemas e equipamentos dos usuários.

São duas as categorias de gerenciamento: básico e avançado. A diferença entre eles está no fato que no gerenciamento básico os servidores são monitorados continuamente através do envio de pacotes de dados de verificação e no gerenciamento avançado, além do envio desses pacotes de dados, os serviços (www, SQL, entre outros) são checados, ou seja, o servidor do provedor fará uma requisição aos serviços que estão rodando para assegurar a qualidade máxima no gerenciamento do sistema do usuário.

O gerenciamento avançado é o método mais eficaz na garantia de disponibilidade do site, possibilitando em muitos casos o envio de mensagens de e-mail, etc. aos administradores da rede, informando o estado das aplicações. Até mesmo pode-se avaliar o desempenho médio e ter diagnóstico antes mesmo do problema acontecer.

Um dos aspectos que devem ser observados na contratação de um serviço de data center é o tipo de acesso (co-location) que o usuário terá ao servidor do provedor de serviços. O tipo de acesso irá definir por qual método o servidor será acessado em caso de necessidade. Se o co-location for contratado, o acesso é feito pelos funcionários do provedor, localmente. Se o co-location for remoto, o acesso será feito através de softwares de controle remoto que será escolhido pelo usuário. Neste caso o aplicativo de acesso remoto é instalado no servidor pelos funcionários do provedor de serviço. Eventualmente uma ou mais ferramentas podem necessitar de manutenção ou pode haver a necessidade de instalação de novos aplicativos. Nesses casos, o usuário deve solicitar ao provedor do serviço que providencie o que for necessário para a operação. Durante a hospedagem no servidor, o usuário assina um termo constatando a legalidade de todos os softwares instalados em seu servidor.

Nas modalidades corporativas o objetivo central é terceirizar a operação e a gestão dos processos informatizados da empresa na forma de outsourcing, onde o provedor de serviços passa a se responsabilizar pelos processos operacionais da área de TI. Na modalidade ASP, a organização ou o profissional liberal, passa a utilizar os recursos disponíveis na modalidade de prestação de serviços, locando licenças de software, espaço para armazenamento em disco e também capacidade de processamento em servidores hospedeiros.

Nessa forma de utilização o usuário não necessita dispor de licenças de software aplicativos ou de automação de escritórios, não necessita licenciar sistemas operacionais, nem licenciar algum tipo de banco de dados. Todos os recursos necessários para a operação do sistema normalmente são fornecidos como parte da solução em forma de serviço, liberando a empresa para focar exclusivamente nos negócios.

O data center deve possuir conexões (links) redundantes de diferentes fornecedores de backbone em uma estrutura de Autonomous System (AS). Esta infraestrutura tem o objetivo de garantir que os sistemas hospedados no permaneçam acessíveis, mesmo se houver falhas em uma das conexões com a Internet. Deve fornecer mecanismos de segurança para restringir o acesso a somente pessoas autorizadas. Estes mecanismos geralmente são compostos de câmeras de segurança, vigilância armada e sistema de identificação. Deve conter um sistema que evite e previna que os equipamentos sejam danificados por incêndios. O sistema de combate e prevenção contra incêndios pode ser composto de sistema de detecção de fumaça, extintores, gases inibidores e procedimentos de brigadas de incêndio.

Deve garantir que a temperatura do ambiente esteja em níveis aceitáveis para a operação dos sistemas e principalmente que não haja oscilações de temperatura que são extremamente prejudiciais ao funcionamento de qualquer equipamento. O equipamento de refrigeração deve ser redundante. Deve garantir que não haja falta de energia e tampouco oscilações em seu fornecimento que possam danificar equipamentos. O sistema de fornecimento de energia é geralmente composto por sistemas de nobreaks, geradores e alimentação por mais de uma subestação.

voltar