Artigos

27/07/2017 06:05

Uma série de normas para as ferramentas elétricas portáteis

Da Redação

 

As ferramentas elétricas portáteis são utilizadas na construção civil e nas indústrias transformadoras, de modo que são projetadas para facilitar o manuseio e o transporte a diferentes lugares. Estes tipos de ferramentas contrastam com os modelos de ferramentas padrão, que são permanentemente instalados em um determinado espaço de trabalho.

O termo portáteis geralmente se refere a menores ferramentas manuais que podem ser transportadas em um cinto específico ou em uma caixa de ferramentas. As ferramentas elétricas funcionam através de um cabo de eletricidade, ou podem ser ferramentas sem fio, alimentadas por baterias de íons de lítio.

Esse tipo de ferramentas está conforme as necessidades de muitas indústrias modernas. Alguns avanços na tecnologia de construção da bateria de íon de lítio fizeram com que as ferramentas portáteis mais modernas também sejam mais leves, mais fáceis de transportar e mais potentes do que as mais antigas. Muitas ferramentas que antes exigiam uma carga de energia grande para sustentar o desempenho de pico, agora, operam eficazmente com base nas baterias de íon de lítio.

Uma série de normas sobre as ferramentas elétricas foram confirmadas em junho de 2017 Uma delas foi a NBR IEC 60745-1 de 06/2009 - Ferramentas elétricas portáteis operadas a motor — Segurança - Parte 1: Requisitos gerais trata da segurança de ferramentas portáteis operadas a motor ou magneticamente, para tensões nominais não superiores a 250 V para ferramentas monofásicas em corrente alternada ou corrente contínua e 440 V para ferramentas trifásicas em corrente alternada. Quando praticável, esta norma trata dos riscos comuns presentes em ferramentas portáteis, aos quais estão sujeitos todos os usuários nas condições normais de utilização da ferramenta e mesmo em caso de uso inadequado que possam ser previstos.

As ferramentas que incorporam um elemento de aquecimento elétrico estão dentro do objetivo desta norma. Elas devem igualmente satisfazer os requisitos pertinentes da IEC 60335. Os requisitos para motores não isolados da alimentação, e tendo isolação básica não prevista para tensão nominal das ferramentas, são fornecidos no Anexo B.

Os requisitos para ferramentas operadas a motor através de bateria recarregável ou magneticamente acionadas, e pacotes de bateria para tais ferramentas, são dados no Anexo K. Os requisitos para ferramentas que são operadas e/ou recarregadas através da rede de alimentação ou fonte não isolada são dados no Anexo L. As ferramentas elétricas portáteis, deste ponto em diante denominadas somente ferramentas, as quais podem ser montadas sobre um suporte ou base de trabalho para uso como ferramenta fixa sem que haja qualquer alteração desta estão dentro do escopo desta norma. Requisitos para tais suportes ou bases de trabalho são dados no Anexo M.

Esta norma não se aplica a: ferramentas portáteis previstas para serem usadas na presença de atmosfera explosiva (poeira, vapor ou gás); ferramentas portáteis usadas no preparo e processamento de alimentos; ferramentas portáteis para uso médico (IEC 60601); ferramentas de aquecimento que são cobertas pela IEC 60335-2-45. Para ferramentas destinadas a serem utilizadas em veículos ou a bordo de embarcações ou aeronaves, podem ser necessários requisitos adicionais. Para ferramentas portáteis previstas para serem utilizadas em países tropicais, podem ser necessários requisitos especiais. Deve ser dada atenção ao fato de que, em muitos países, requisitos adicionais são especificados por autoridades nacionais de saúde, autoridades nacionais responsáveis pela segurança do trabalho, autoridades nacionais responsáveis pelo fornecimento de água etc.

A NBR IEC 60745-2-11 de 04/2012 - Ferramentas elétricas portáteis operadas a motor — Segurança - Parte 2-11: Requisitos particulares para serras vaivém (tico-tico e serra sabre) é aplicável para serras vaivém como serras tico-tico e serras sabre. A NBR IEC 60745-2-4 de 08/2012 - Ferramentas elétricas portáteis operadas a motor — Segurança - Parte 2-4: Requisitos particulares para lixadeiras e politrizes diferentes das de disco é aplicável às lixadeiras e politrizes, com exceção de todos os tipos de ferramentas de disco, os quais são cobertos pela NBR IEC 60745-2-3. As ferramentas cobertas por esta norma incluem, mas não estão limitadas a lixadeiras de cinta, lixadeiras ou politrizes vaivém, lixadeiras ou politrizes orbitais, e lixadeiras ou politrizes roto-orbitais.

Conheça algumas perguntas relacionadas a essas normas GRATUITAMENTE no Target Genius Respostas Diretas:

Como devem ser feitas a marcação e as instruções nas ferramentas?

Como deve ser feita a proteção contra acesso às partes vivas?

O que deve ser feito em caso de aquecimento das ferramentas?

Como devem ser feitos os projetos típicos de serra tico-tico e os projetos típicos de serra sabre?

Os países individualmente podem considerar a aplicação desta Parte 1 da NBR IEC 60745, dentro do razoável, a ferramentas não mencionadas na Parte 2 e a ferramentas projetadas segundo os novos princípios. Se as funções de uma ferramenta estiverem cobertas por diferentes Partes 2 da série NBR IEC 60745, aplica-se separadamente a cada função da Parte 2 correspondentes, dentro do razoável. Se aplicável, a influência de uma função sobre a outra deve ser levada em consideração.

Um produto que emprega materiais diferentes, ou que tem formas de construção diferentes dos detalhados nos requisitos desta norma, pode ser examinado e ensaiado em função do objetivo visado por esses requisitos e, se considerado substancialmente equivalente, pode ser julgado como em conformidade com a norma. As normas que cobrem aspectos não relativos à segurança das ferramentas portáteis são: as normas IEC publicadas pelo TC 59 relativas a métodos de medição de desempenho; CISPR 11 e CISPR 14 relativas à supressão de rádio interferência; IEC 61000-3-2 e IEC 61000-3-3 relativas à compatibilidade eletromagnética.

As ferramentas a serem ligadas a mais que dois condutores elétricos devem ser fornecidas com o diagrama de ligação, fixado à ferramenta, salvo se o modo correto de ligação for óbvio. O modo correto de ligação é entendido como óbvio se os terminais para os condutores de alimentação forem indicados por setas apontando para os mesmos. O condutor de aterramento não é um condutor de alimentação. Para ferramentas com ligação estrela-triângulo, recomenda-se que o diagrama de ligação mostre como os enrolamentos devem ser conectados.

Os dispositivos de regulagem e similares destinados a serem ajustados durante a operação da ferramenta devem ter uma indicação do sentido do ajuste para aumentar ou diminuir o valor característico que está sendo ajustado. Uma indicação de + e - é considerada suficiente. Este requisito não se aplica aos dispositivos de regulagem com meios de ajuste, se sua posição "máxima" for oposta à posição "desligado".

Se figuras forem usadas para indicar diferentes posições, a posição “desligado” deve ser indicada pela figura O e as outras posições devem ser indicadas por uma figura indicando uma posição maior de saída, entrada, velocidade, etc. A indicação para as diferentes posições de modo de operação de um dispositivo de controle não necessita ser colocada no próprio dispositivo. A conformidade é verificada por inspeção.

Um manual de instrução e instruções gerais de segurança devem ser fornecidos com a ferramenta e embalados de tal maneira que sejam visíveis quando a ferramenta for retirada da embalagem. As instruções gerais de segurança podem estar separadas do manual de instrução. Uma explicação dos símbolos requeridos por esta norma deve ser prevista no manual de instrução ou nas instruções gerais de segurança.

Elas devem estar escritas no (s) idioma (s) oficial (ais) do país em que a ferramenta é comercializada. Elas devem ser legíveis e contrastar com o fundo. Elas devem incluir o nome e endereço do fabricante ou fornecedor ou do agente responsável por colocar a ferramenta no mercado. O nível de tensão suportável deve ser adequado. A conformidade é verificada pelos ensaios de 15.2.

O impedor de proteção deve ser desconectado das partes vivas antes da execução dos ensaios. Os ensaios são realizados nas ferramentas em temperatura ambiente e não ligadas à alimentação. A isolação é submetida por 1 min a uma tensão praticamente senoidal, tendo uma frequência de 50 Hz ou 60 Hz. O valor da tensão de ensaio e os pontos de aplicação são mostrados na tabela abaixo, a menos que especificado de outra maneira. As partes acessíveis de material isolado são cobertos com folha metálica.

 

 

Inicialmente, não mais que a metade da tensão especificada é aplicada, sendo então elevada rapidamente até o valor pleno. Durante o ensaio não deve ocorrer nenhuma descarga de contorno ou descarga disruptiva. O transformador de alta tensão utilizado para o ensaio deve ser projetado de tal maneira que a corrente de curto-circuito, quando os terminais de saída forem curto-circuitados, não seja inferior a 200 mA, estando a tensão de saída ajustada no valor apropriado da tensão de ensaio.

Quanto aos riscos mecânicos, para serras tico-tico, uma capa de proteção deve ser fornecida para prevenir contato acidental com a aresta de corte da lâmina da serra acima da placa-base. A conformidade é verificada por inspeção e pelo seguinte ensaio. A serra tico-tico é ajustada para o corte em ângulo reto. A ponta de prova é posicionada acima da placa-base. O eixo longitudinal da ponta de prova deve ser perpendicular à aresta dos dentes da lâmina da serra. A ponta de prova deve ser centralizada ao longo do plano central da lâmina da serra. Quando a ponta de prova é movida em direção à lâmina da serra, ela não pode tocar as arestas dos dentes.

Já para outros tipos de serras vaivém, se a serra vaivém for projetada com uma área de empunhadura adjacente e atrás da lâmina da serra, um limitador deve ser fornecido para prevenir o contato acidental com a lâmina da serra. O limitador deve ter altura mínima de 6 mm medida a partir da superfície da empunhadura e estar localizado entre a empunhadura e a lâmina da serra. Um limitador não é requerido se a ferramenta for fornecida com um punho auxiliar frontal. A conformidade é verificada por inspeção e medição.

Para a durabilidade de segurança de lixadeiras e politrizes orbitais, lixadeiras e politrizes roto-orbitais, e lixadeiras e politrizes vaivém devem ser operadas enquanto a base, com a folha abrasiva na posição inversa ou um boné de polimento conforme aplicável, é apoiada sob o peso da lixadeira ou politriz sobre uma placa de aço. A folha abrasiva deve ser substituída conforme necessário para evitar o contato direto entre a base e a placa de aço. Estas ferramentas são ensaiadas apenas na posição vertical, com a base na horizontal.

voltar