QUALIDADE – Artigos

14/06/2018

Como criar dashboards de desempenho atraentes e eficazes

Por Tobias Schroeder

Para alcançar o desempenho esperado por sua organização, além de selecionar os KPIs apropriados para o seu setor, é preciso descobrir como medi-los e reportá-los de forma adequada e precisa. Esse pode ser um passo difícil, mas é incontestavelmente importante, como veremos a seguir.

Qualquer empresa bem-sucedida quer ser capaz de cumprir seus objetivos organizacionais com sucesso. Nesse sentido, os indicadores-chave de desempenho (do inglês, Key Performance Indicators – KPIs) desempenham um papel importante em quase todas as organizações.

Os KPIs fazem parte de um contexto maior, eles são elementos fundamentais na gestão do desempenho corporativo. Por esta razão, vou mostrar neste artigo como criar ótimos painéis (ou dashboards) de KPIs, descrevendo cada passo necessário para que você possa implementá-los em sua própria organização.

Selecione KPIs relevantes

Medir e monitorar o desempenho do negócio é crítico, mas escolher os indicadores de desempenho-chave errados pode ser prejudicial. KPIs pouco estruturados, ou KPIs que são muito difíceis, caros para obter a informação, ou para monitorar regularmente, são alguns exemplos.

Os KPIs certos para sua empresa precisam ser:

  • Alinhados;
  • Alcançáveis;
  • Incisivos;
  • Precisos;
  • Acionáveis;
  • Vivos.

Descreva os KPIs em detalhes

Depois de selecionar seus principais indicadores de desempenho, é importante que a “ficha técnica” de cada um deles esteja claramente definida. Uma definição completa do indicador evita futuros mal-entendidos sobre suas informações.

A “ficha técnica” de um indicador precisa conter pelo menos:

  • Objetivo;
  • Nome;
  • Definição;
  • Frequência;
  • Fonte/fórmula;
  • Responsável.

Essa é uma ficha básica, não se limite a ela.

Defina o tipo do seu dashboard

Antes de colocar os KPIs em seu dashboard, é importante saber que os dashboards variam em relação ao seu nível e finalidade.

Existem três tipos principais de dashboards de desempenho:

  • Estratégico;
  • Operacional;
  • Analítico.

Embora essas sejam as principais categorias que os dashboards podem assumir, provavelmente haverá casos em que um híbrido de dois tipos pode ser necessário.

Independentemente do tipo de dashboard de KPI que você use, os gestores e a equipe devem ser capazes de obter as respostas às perguntas em tempo real e agir com todos os dados consolidados em um só lugar.

Escolha o tipo de gráfico perfeito

Para cada KPI, você precisa definir como compartilhar as informações que você coletou. Por exemplo, é mais importante ver a meta, o valor atual ou o acumulado do ano até a data, ou um benchmark?

Existem vários tipos de gráficos que ficam ótimos em um dashboard, cada um ideal para um tipo diferente de indicador: gráficos de pizza, tabelas, gauges, gráficos de barras, gráficos de linhas, etc.

Desenhe dashboards atrativos

Usando uma ferramenta que permita criar um layout com drag-and-drop e widgets configuráveis, qualquer um pode criar um dashboard atrativo. Posicione indicadores relacionados próximos um do outro, criando um fluxo linear que seja fácil de seguir. Use cores para trazer vida ao seu painel de desempenho e adicione benchmarks para facilitar a avaliação dos dados.

Promova a interação

Um dashboard precisa promover a interação entre a informação e seu leitor. As relações de dependência entre os quadrantes são uma maneira de oferecer ao leitor não apenas informações estáticas, mas também análises flexíveis.

Mantenha seguro, mas não deixe de compartilhar

Diferentes usuários têm acesso a informações diferentes, dependendo do seu papel na empresa, suas responsabilidades, etc. Portanto, as configurações de permissão são importantes para garantir a segurança da informação. E, ao invés de enviar um arquivo estático do Excel, você deve poder compartilhar seu dashboard com qualquer pessoa que precise da mesma informação.

Revise, ajuste e repita

À medida que os ambientes de negócios mudam ao longo do tempo, as organizações precisam se adaptar e se ajustar – e com os dashboards de KPI não é diferente. Trata-se de um ciclo contínuo de revisão, ajuste e repetição. Revisões regulares são uma ótima maneira de evitar que seus dashboards fiquem para trás.

Autor:

Tobias Schroeder é Analista de Marketing de Conteúdo da SoftExpert, fornecedora de softwares e serviços para automatização e aprimoramento dos processos de negócio, conformidade regulamentar e governança corporativa, e autor no Excellence Blog, onde compartilha conhecimento e propostas de soluções ligadas a excelência na gestão. Tobias possui 14 anos de experiência na indústria de software para gestão da excelência, atuando como analista de sistemas, analista de negócios e gestor de produto e mercado das soluções de ERM e GRC. Possui formação em Ciências da Computação pela Universidade do Estado de Santa Catarina e MBA em Gestão Estratégica pela Universidade Federal do Paraná.

voltar